Brasil tem projeção de nova safra recorde, com 213 milhões de toneladas de grãos

Pela primeira vez, estimativa de produção de soja ultrapassa marca de 100 milhões de toneladas.

A produção brasileira de grãos deve bater novo recorde na safra 2015/2016 . Conforme estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o País colherá no próximo ano agrícola volume entre 210,3 milhões e 213,5 milhões de toneladas, ante 209,8 milhões de toneladas na safra 2014/2015. O aumento pode chegar, portanto, a até 1,7%, impulsionado por um aumento expressivo da área plantada, que deve avançar de 58,1 milhões de hectares, na safra passada, para 59 milhões de hectares, neste novo período de plantio.

De acordo com o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab,  João Marcelo Intini, o aumento reflete a estabilidade do suporte ao produtor, com aumentos sucessivos no financiamento do Plano Safra. O ciclo produtivo de 2015/2016 soma R$ 187,7 bilhões em crédito subsidiado pelo governo federal, após aumento de 20% sobre o valor disponibilizado para a safra 2014/2015. “Acho que estamos vendo uma consolidação da produção agrícola no País”, avalia. 

A estimativa positiva ocorre mesmo diante da intensificação do El Niño, fenômeno climático que afeta o fluxo de chuvas. A estimativa do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de que chova menos até março de 2015 nas principais regiões produtoras, mas de forma bem distribuída sobre as zonas agrícolas do País. 

A consolidação produtiva será sentida em maior escala na soja. O grão deve bater pela primeira vez a marca de 100 milhões de toneladas, podendo chegar a 101,9 milhões de toneladas até o final da safra, em julho de 2016. De acordo com Intini, mesmo com a queda no preço da soja no mercado internacional, o câmbio tem compensado a produção da oleaginosa. Com isso, parte dos produtores deve reduzir o volume de milho plantado para ampliar a safra de soja. 

A produção do milho deve variar entre 82,6 milhões e 83,6 milhões de toneladas, recuando de 2,2% a 3,3% em relação às 85,4 milhões de toneladas colhidas na safra anterior. A Conab avalia que a queda não deve impactar o abastecimento interno de milho, usado principalmente em ração animal. “Os nossos técnicos indicam que não podemos ter menos de 80 milhões de toneladas de milho no País para dar conta do suporte interno, principalmente ao setor de carne e também para o volume de exportações”, observou. 

O trigo deve ampliar a produção em 11,4% sobre a safra anterior, mesmo com previsão de 9,8% de redução da área plantada, para 2,48 milhões de hectares. A estimativa de volume é de 6,6 milhões de toneladas de trigo, puxado por alta na produtividade por hectare, estimada em 23,6%. 

A safra de feijão deve se manter estável em 3 milhões de toneladas. Já a produção de arroz pode sofrer uma queda de 1,9% a 3,9% no volume total, influenciada por uma redução na área plantada. A estimativa da Conab varia entre 11,9 milhões e 12,2 milhões de toneladas de arroz na safra 2015/2016.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Conab

Outras Notícias

PUBLICIDADE