Safra de grãos 2015/16 deve ser de 210,3 milhões de toneladas, diz Conab

Safra de grãos 2015/16 deve ser de 210,3 milhões de toneladas, diz Conab

Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

A produção brasileira de grãos na safra 2015/16, em fase de colheita, deve alcançar 210,3 milhões de toneladas, o que equivale a 1,3% ou 2,6 milhões de toneladas a mais em relação à safra anterior (207,7 milhões de toneladas). A estimativa faz parte do quinto levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta quinta-feira. Em relação à previsão de dezembro passado (210,5 milhões de toneladas), houve redução de cerca de 200 mil toneladas.

Conforme a Conab, a produção de soja é o principal destaque e deverá atingir 100,93 milhões de toneladas, ou seja, 4,7 milhões de toneladas a mais, ou 4,9%, do que na safra anterior, impulsionada por ganhos de área e produtividade.

A recuperação da produtividade de feijão reflete em aumento de 279 mil toneladas, apesar da queda na área plantada do país, chegando ao total de 3,4 milhões de toneladas na safra atual. A primeira safra da leguminosa deve alcançar 1,26 milhão de toneladas, mais 11,7% ante o período anterior. A segunda safra de feijão está estimada em 1,25 milhão de toneladas (mais 10,7% ante o período anterior). A terceira safra de feijão está prevista em 849 mil toneladas, queda de 0,4% ante a safra anterior 2014/15.

A produção total de milho deve atingir 83,34 milhões de toneladas, queda de 1,6% em comparação com o período anterior. A primeira safra está projetada pela Conab em 28,35 milhões de toneladas, o que corresponde a uma redução de 5,8% ante a safra anterior 2014/15 (30,08 milhões de toneladas). A segunda safra do cereal, em fase em plantio em algumas regiões, deve ser de 54,99 milhões de toneladas, leve aumento de 0,7% ante a safra anterior.

Já a área plantada de grãos em todo o país deve alcançar 58,5 milhões de hectares. Isso representa um aumento de 593,5 mil hectares (1,0%) frente à safra passada, que atingiu 57,9 milhões de hectares. A cultura da soja, responsável por cerca de 56% da área cultivada do País, permanece como principal responsável pelo aumento de área. A estimativa é de crescimento de 3,6% (1,1 milhão de hectares) na área cultivada com a oleaginosa.

Já o algodão apresenta redução de 1,7% (17 mil hectares), reflexo da opção pelo plantio de soja na Bahia, segundo maior produtor de algodão do país.

Para o milho primeira safra, a exemplo do que ocorreu na safra passada, a expectativa é que haja redução de 6,8% na área (418,9 mil hectares), a ser coberta com soja. Para o milho segunda safra, a expectativa é de leve aumento de área, enquanto o feijão primeira safra apresenta redução de 2,7% (28,3 mil hectares). As culturas de primeira safra tiveram o plantio estendido até meados de janeiro em algumas regiões.

O diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, João Marcelo Intini, e o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, André Nassar, vão detalhar os números do quinto levantamento, em Brasília.

Safra 2016 será 0,6% maior do que a de 2015, diz IBGE

A safra brasileira deve somar 210,7 milhões de toneladas em 2016, segundo o Levantamento Sistemático de Produção Agrícola (LSPA) referente a janeiro, divulgado na manhã desta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado significa aumento de 0,6% em relação à produção de 2015, que totalizou 209,5 milhões de toneladas.

O montante ainda representa estabilidade em relação ao terceiro prognóstico de safra, divulgado no mês passado, com 50,682 mil de toneladas a mais. O arroz, o milho e a soja representam, juntos, 92,7% da estimativa de produção.

O IBGE também informou que o Brasil deve colher 58,5 milhões de hectares na safra de grãos em 2016, segundo o levantamento. A área será 1,3% maior do que a colhida em 2015.

Na comparação com o terceiro prognóstico de safra, porém, a área encolheu 0,1%, apontou o instituto. Houve redução de 68,221 mil hectares. O arroz, o milho e a soja representaram 86,3% da área a ser colhida.

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE