Comitê americano admite mentira de nadadores e pede desculpas ao Brasil

Comitê americano admite mentira de nadadores e pede desculpas ao Brasil

Ryan Lochte foi o mentor intelectual do incidente no Rio (Foto: MARTIN BUREAU / AFP)

O suposto caso de assalto a nadadores americanos, que quase virou incidente diplomático entre Brasil e Estados Unidos, foi mesmo uma obra de ficção por parte de Ryan Lochte, James Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger. O Comitê Olímpico Americano publicou uma nota, no final da noite desta quinta-feira, admitindo a mentira por parte do quarteto e pedindo desculpas aos organizadores do Rio 2016 e ao povo brasileiro pelo episódio.

Na nota, o comitê destaca que Bentz e Conger foram liberados pela Polícia Civil do Rio a voltar aos Estados Unidos. Nos seus depoimentos, eles admitiram que a história inicial, de que haviam sido assaltados, foi inventada.

— Entendemos que eles (Bentz e Conger) descreveram os eventos que muitas pessoas viram nos vídeos de câmeras de segurança, tornados públicos nesta quinta-feira. Da maneira que entendemos, os quatro atletas deixaram a Casa França cedo na manhã de 14 de agosto. Pararam em um posto de gasolina para usar o banheiro, e um dos atletas cometeu atos de vandalismo. Uma discussão começou entre os atletas e dois seguranças armados do posto, que mostraram suas armas (...) e pediram ressarcimento aos atletas. Assim que o pagamento foi feito, eles foram liberados — diz o comunicado, que segue:

— O comportamento destes atletas não é aceitável e nem representa os valores do Team USA ou a conduta da grande maioria dos seus integrantes (...). Em nome do COmitê Olímpico dos Estados Unidos, nós pedimos desculpas aos nossos anfitriões no Rio e ao povo do Brasil por esta distração, em meio ao que deve, corretamente, ser uma celebração de excelência — completou o comitê.

*ZHEsportes

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE