Itália contrata pedreiros e encanadores para reparos na Vila Olímpica

O Comitê Olímpico Nacional da Itália (CONI) publicou ontem (24) em seu site que contratou eletricistas, encanadores e pedreiros para finalizar áreas incompletas no Edifício 20 da Vila Olímpica, ocupado por seus atletas desde ontem.

Os profissionais foram contratados com urgência para garantir que as condições de alojamento sejam "normais", diz o comunicado do CONI, que afirma que a equipe enfrentou situações de emergência imprevisíveis. "Peço aos atletas a máxima cooperação e compreensão", diz o chefe da missão da Itália, Carlo Mornati.

Ontem, na abertura da vila, o Comitê Olímpico da Austrália considerou as acomodações inabitáveis e se recusou a ocupá-las enquanto problemas não fossem resolvidos.

De acordo com a chefe da missão da Austrália, há problemas elétricos, de gás e de encanamento. "Os problemas incluem sanitários entupidos, vazamento em tubulações, fiação exposta, escadas escuras onde iluminação não foi instalada e pisos sujos que precisam de uma grande limpeza", diz o comunicado, que afirma que a Nova Zelândia e a Grã-Bretanha passam pelos mesmos problemas.

O comitê neozelandês afirma em seu site que não encontrou os apartamentos prontos na semana passada e também teve que trabalhar para concluí-los. "Nós estávamos decepcionados que a vila não estava tão pronta quanto deveria quando chegamos e não tem sido fácil", diz a nota, que afirma que os atletas do país se mudarão para o prédio hoje.

Prefeita da Vila Olímpica, a ex-atleta do basquete Janeth Arcain disse que os organizadores "têm a estrutura necessária para deixar tudo perfeito antes do início dos jogos". O presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, também destacou que o importante é que os reparos sejam feitos antes que comece a Olimpíada. "São ajustes que já estamos fazendo e serão resolvidos em pouco tempo. Toda Vila Olímpica, por sua magnitude, precisa de alguns retoques até que fique perfeita. O importante é que tudo será feito antes do início dos jogos, sem trazer nenhum transtorno aos atletas", disse, na abertura da vila.

O comitê Rio 2016 informou ainda que tem 600 profissionais disponíveis para fazer reparos na Vila Olímpica e que os comitês nacionais costumam contratar pessoas para preparar outras estruturas, como escritórios, em suas acomodações.

Segundo o comitê brasileiro, 900 pessoas de 66 comitês olímpicos nacionais já estão na vila dos atletas desde domingo. Entre eles, 200 atletas de 20 nacionalidades. A previsão para hoje é de que o número de comitês olímpicos nacionais suba para 115 até o final do dia, com a chegada de representantes de países como a Alemanha, Estados Unidos, Grécia e Polônia.

Agência Brasil 

Outras Notícias

PUBLICIDADE