Uso de internet deve ser quatro vezes maior durante os Jogos Rio 2016

Estima-se que a utilização de tablets e smartphones seja superior em relação à edição em Londres, em 2012

Uso de internet deve ser quatro vezes maior durante os Jogos Rio 2016

Reprodução Internet

O tráfego de dados esperado para os Jogos Olímpicos Rio 2016 deverá ser quatro vezes maior que o registrado há quatro anos, em Londres, especialmente com o envio de fotos e vídeos. Enquanto em Londres foram transmitidos 60 gigabits (GB) de informações por segundo, no Rio de Janeiro o tráfego deve chegar a 240 GB por segundo.

“Hoje em dia, qualquer lugar que você vá a um evento esportivo ou a um show, nos primeiros minutos e durante grande parte deles, o pessoal está filmando e tirando fotos e se comunicando imediatamente; isso já está na cultura do proveito do evento poder realizar esse tipo de atividade”, disse o secretário de Telecomunicações do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Telecomunicações (MCTIC), André Borges.

A expectativa do governo é que não haja problemas no uso das tecnologias de telefonia e internet móvel durante a Olimpíada. Segundo Borges, todos os investimentos previstos para serem feitos pelas operadoras foram realizados e as atividades de planejamento e execução foram concluídas no prazo. “A nossa expectativa é que tudo corra bem, com um bom padrão de normalidade e funcionamento com qualidade.”

Segundo ele, foi feito um reforço das redes de transporte e de acesso para o aumento da capacidade de tráfego de dados. Além disso, da mesma forma como foi feito durante a Copa do Mundo de 2014, as operadoras de telefonia instalaram infraestruturas temporárias móveis para reforçar o sinal em áreas externas, que serão desmontadas depois dos Jogos. Dentro dos locais de competição, as empresas compartilharam a infraestrutura de cabos e antenas para a oferta de telefonia e internet móvel.

As operadoras instalaram centrais de monitoramento no Rio de Janeiro. Além disso, equipes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações e da Agência Nacional de Telecomunicações estarão na cidade para acompanhar o funcionamento dos serviços de telecomunicações durante a Olimpíada. “Estaremos sempre a postos para apagar qualquer incêndio”, diz André Borges. 

Portal Brasil

Outras Notícias

PUBLICIDADE