Após Petrobras reduzir preços na refinaria, gasolina sobe no país

Após Petrobras reduzir preços na refinaria, gasolina sobe no país

Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS

Conforme levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo (ANP), os preços médios dos combustíveis em postos de gasolina do país subiram nesta semana, mesmo depois do anúncio da Petrobras de redução de 3,2% no valor do combustível fóssil nas refinarias. O preço médio da gasolina no país foi de R$ 3,671 o litro, quase 2 centavos acima do valor registrado na semana anterior.

No diesel, a alta foi menor, de menos de um centavo. Variou de R$ 3,002 o litro na semana passada para R$ 3,005 o litro nesta semana. A maior alta foi registrada no etanol, cujo preço médio do litro avançou de R$ 2,633 para R$ 2,684 — um aumento de cerca de 5 centavos.

Após a decisão da Petrobras, as cotações do derivado de petróleo só cederam em 14 Estados e ficaram estáveis no Pará, segundo a ANP.

De acordo com a autarquia, a gasolina mais cara do país é vendida no Acre, a uma média de R$ 4,122 por litro, ante R$ 4,133 na semana passada. Já a mais barata é comercializada em São Paulo, a R$ 3,472 por litro, frente R$ 3,458 na semana anterior. 

Entre os dois períodos, a gasolina variou mais no Distrito Federal, com aumento de R$ 0,20, passando de R$ 3,357 para R$ 3,558 por litro.

Outro destaque de alta foi o Rio de Janeiro (de R$ 3,865 para R$ 3,95 por litro). Já o Amazonas registrou a maior queda, de R$ 3,798 para R$ 3,63 por litro. Na média Brasil, a gasolina variou de R$ 3,654 para R$ 3,671 entre as semanas.

Segundo a própria Petrobras, caso a redução de 3,2% fosse inteiramente repassada pelas distribuidoras, poderia haver diminuição de R$ 0,05 por litro na bomba. A manutenção das cotações chegou a ser atribuída à firmeza do etanol anidro, misturado em até 27% ao combustível fóssil.

A União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), porém, afirmou que essa relação não pode ser feita. De acordo com a entidade, a composição do preço da gasolina depende de diversas variáveis, entre elas o preço do produto na refinaria, a margem da distribuidora, a margem da revenda, o valor do Preço Médio Ponderado Final (PMPF), atualizado a cada 15 dias para recolhimento do ICMS, e o próprio anidro.

*Com informações Estadão Conteúdo e Zero Hora

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE