Após sete meses de queda, produção industrial abre 2016 com crescimento

Após sete meses de queda, produção industrial abre 2016 com crescimento

Foto: Cleber Gomes / Agencia RBS

A produção industrial brasileira cresceu 0,4% em janeiro em relação a dezembro de 2015, na série livre de influenciais sazonais, interrompendo um período de sete meses de quedas consecutivas, quando acumulou perdas de 8,7%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física Brasil (PIM-PF), divulgada nesta sexta-feira. 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os dados da pesquisa indicam que, quando comparada a janeiro de 2015, a indústria, no entanto, caiu 13,8%, a vigésima terceira taxa negativa consecutiva e a mais intensa desde os -14,1% de abril de 2009.

Já a queda de 9% no resultado acumulado dos últimos 12 meses (a taxa anualizada) foi a mais intensa desde novembro de 2009, mantendo uma trajetória descendente iniciada em março de 2014 (2,1%).

Em janeiro de 2016, de acordo com o IBGE, o setor industrial "volta a mostrar um quadro de maior ritmo produtivo, expresso não só no avanço de 0,4% na comparação com o mês imediatamente anterior, que interrompeu sete meses consecutivos de queda, mas também no predomínio de taxas positivas entre as grandes categorias econômicas e as atividades investigadas¿.

De dezembro para janeiro, houve resultados positivos na maioria dos ramos analisados. O destaque foi para a produção de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, que teve alta de 2,8%.  

Por outro lado, foram registradas baixas nas indústrias extrativas (-2,7%), de alimentos (-0,6%), de veículos automotores, reboques e carrocerias (-1%) e de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-3,6%).

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE