Conselho do MPF prorroga força-tarefa da Lava-Jato até setembro de 2017

Conselho do MPF prorroga força-tarefa da Lava-Jato até setembro de 2017

Rodrigo Janot preside o Conselho Superior do MPF (Foto: José Cruz / Agência Brasil)

O Conselho Superior do Ministério Público Federal prorrogou por mais um ano o funcionamento da força-tarefa da Operação Lava-Jato que atua em Curitiba, no Paraná. O colegiado, presidido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estendeu até o dia 8 de setembro de 2017 os trabalhos dos promotores e procuradores que atuam na investigação do esquema de corrupção na Petrobras.

Atualmente, a força-tarefa em Curitiba conta com 11 profissionais do Ministério Público dedicados exclusivamente à Lava-Jato e mais três colaboradores que auxiliam nas investigações, coordenadas pelo procurador Deltan Dallagnol.

Também foi prorrogado o funcionamento da força-tarefa que atua no Rio de Janeiro com desdobramentos da Lava-Jato ligados a esquema de corrupção na Eletronuclear e em obras da usina de Angra 3.

A Operação Lava-Jato teve início em março de 2014 e já se estende por dois anos e meio. A força-tarefa em Curitiba foi instalada em abril daquele ano pelo procurador-geral da República, para dedicação exclusiva ao caso. Ao todo, a operação já teve 33 fases, que levaram à prisão preventiva executivos das grandes empreiteiras do País.

As investigações sobre o envolvimento de políticos na Lava-Jato não são conduzidas pela força-tarefa no Paraná. Os casos envolvendo autoridades como ministros e parlamentares são conduzidos por grupo de trabalho que atua em Brasília, sob supervisão direta de Janot.

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE