Corpos de três vítimas do acidente com Teori ainda passam por perícia

Corpos de três vítimas do acidente com Teori ainda passam por perícia

Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Os corpos de Maíra Panas, de 23 anos, e de sua mãe, Maria Hilda Panas, de 55 anos, vítimas do acidente de avião em que viajava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, foram levados do Instituto Médico Legal (IML) de Angra dos Reis, no Sul Fluminense, para o Hospital da Praia Brava para serem examinados. A transferência ocorreu porque o local não teria estrutura para realizar os exames necessários.

Mãe e filha devem ser enterradas em Juína (MT), cidade natal de ambas. Maíra era massoterapeuta do spa do Hotel Emiliano, em São Paulo, de propriedade do empresário Carlos Alberto Filgueiras, amigo de Teori, dono do avião e também morto no acidente. A mãe foi como sua convidada. O pai de Maíra está no IML para acompanhar a liberação do corpo.

O corpo do piloto da aeronave, Osmar Rodrigues, também está no IML de Angra. Não há informações sobre o sepultamento. Ele era do Paraná e trabalhava para o Grupo Emiliano havia bastante tempo. Era considerado bastante experiente no trajeto São Paulo-Paraty, e chegou a dar aulas sobre este itinerário e suas dificuldades. Familiares de Rodrigues estão no IML para a liberação e traslado do corpo.

O corpo de Filgueiras será velado a partir de 15h30 deste sábado, 21, em São Paulo. A cerimônia de cremação está prevista para as 20 horas, de acordo com a assessoria de imprensa do Hotel Emiliano.

O IML não divulgou oficialmente a causa da morte de nenhuma das vítimas do acidente. Ontem, o "Jornal Nacional", da TV Globo, informou que Zavascki morreu em decorrência de politraumatismo (lesões múltiplas no corpo, que podem comprometer órgãos e sistemas), provocado pela queda do avião, e não por afogamento.

Trabalho para retirada dos destroços prossegue

A operação para retirada do fundo do mar do avião bimotor que levava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, morto em acidente aéreo na última quinta-feira (19), começou na manhã deste sábado na costa de Paraty, litoral sul do Rio, informou o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa). Investigadores do órgão da Força Aérea Brasileira (FAB) saíram ao mar às 9h30min, conforme o "RJTV", da TV Globo.

Segundo a assessoria de imprensa do Cenipa, o trabalho de resgate dos destroços do avião não tem hora para terminar. A prioridade, na remoção, é preservar os destroços como estão, o que é importante para a investigação.

O bimotor, modelo King Air C90GT, fabricado pela Hawker Beechcraft, tem pouco menos de 11 metros de comprimento. A distância entre as asas chega a 16 metros.

A aeronave, que partira do Campo de Marte, em São Paulo, caiu anteontem de tarde no mar de Paraty, quando estava a dois quilômetros da cidade. Pessoas que tentaram socorrer as vítimas relataram terem visto uma mulher com vida, dentro do avião, gritando por socorro, o que indicaria que sua morte foi por afogamento.

Por Estadão Conteúdo 

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE