Dilma faz pronunciamento de 7 de Setembro pela internet: "Temos que reavaliar medidas"

Presidente falou sobre a crise e disse que é hora de repensar investimentos

Dilma faz pronunciamento de 7 de Setembro pela internet:

Dilma Rousseff fez o pronunciamento de 7 de Setembro pela internet (Foto: Reprodução / YouTube)

Como tem se tornado praxe, a presidente Dilma Rousseff evitou a cadeia nacional de televisão e rádio e publicou seu pronunciamento de 7 de setembro direto na internet. O vídeo, de pouco mais de 8 minutos, entrou nos canais do Planalto por volta das 11h desta segunda e mostra Dilma falando sobre a crise política e a necessidade de repensar investimentos.

– É o momento certo para refletir. Falar sobre a preocupação de todos nós quanto ao presente e ao futuro do país. (...) As dificuldades e desafios resultam de um longo período em que o governo entendeu que deveria gastar o que fosse preciso para garantir o emprego e a renda do trabalhador, a continuidade dos investimentos e dos programas sociais. Agora, temos que reavaliar todas essas medidas e reduzir as que devem ser reduzidas – diz a presidente logo no início do vídeo, deixando claro que programas sociais terão sua aplicação repensada pelo governo federal.

Dilma segue o pronunciamento falando que a crise também atinge países emergentes e parceiros econômicos do Brasil. A presidente argumenta que essas nações "tiveram seus crescimentos reduzidos e foram atingidos pela crise internacional".

Usando o menino Aylan, que apareceu morto em uma praia turca e teve sua imagem transformada em símbolo dos refugiados sírios, como exemplo, Dilma garantiu que o Brasil tem "braços abertos para os refugiados" e reiterou "a disposição do governo de receber aqueles que, expulsos de suas pátrias, para aqui queriam vir, viver, trabalhar e contribuir para a paz e prosperidade do Brasil".

A seguir, a presidente segue falando das medidas necessárias para "por a casa em ordem": segundo ele, o Brasil pode ser exemplo de "crescimento econômico e valorização das pessoas". Para isso, fez um apelo à oposição:

– A união em torno dos interesses de nosso país e de nosso povo é a força capaz de nos conduzir nessa travessia. Devemos, nessa hora, estar acima das diferenças menores, colocando em segundo plano os interesses individuais e partidários.

Por fim, a presidente diz que a data é "uma celebração e um tributo que prestamos aos heróis que lutaram por um Brasil forte, livre e independente". No pronunciamento, Dilma diz que o dia serve para reafirmar o que um povo tem de melhor: "a capacidade de lutar".

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE