Em pronunciamento, Dilma defende Lula e rebate afirmações de Delcídio

Em pronunciamento, Dilma defende Lula e rebate afirmações de Delcídio

Foto: José Cruz / Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff se pronunciou na tarde desta sexta-feira sobre as investigações da 24ª fase da Operação Lava-Jato — que atingem diretamente a figura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva — e a suposta delação do senador Delcídio Amaral. Dilma iniciou o discurso considerando "fundamental, diante dos fatos ocorridos nos últimos dias", que se pronunciasse.

Após ler trechos da nota divulgada mais cedo pelo governo, a presidente frisou seu "mais absoluto inconformismo que o ex-presidente Lula seja submetido a uma desnecessária condução coercitiva".

Dilma também considerou "lamentável" o vazamento de uma hipotética delação do senador Delcídio Amaral que, se realmente realizada, "foi motivada por imoral e mesquinho desejo de vingança e retaliação".

— Venho manifestar não só meu inconformismo, mas minha indignação com as denúncias.

A presidente lembrou que, em 2014, prestou informações sobre a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras. Na época, após o envio dos documentos ao Supremo Tribunal Federal (STF), Rodrigo Janot determinou o arquivamento da investigação.

— Nenhum elemento novo foi apresentado na delação de Delcídio — afirmou Dilma.

Sobre a reunião ocorrida na cidade do Porto, em Portugal, Dilma afirmou que o objeto dessa reunião foi a discussão sobre o reajuste dos servidores do judiciário.

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE