Governo confirma déficit primário de R$ 139 bilhões como meta fiscal para 2017

Anúncio foi feito pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Em coletiva promovida no início da noite desta quinta-feira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou um déficit primário de R$ 139 bilhões nas contas públicas como meta fiscal para 2017. O ministro disse que foi necessário um ¿grande esforço" para fechar esse valor.

— Temos de enfrentar aumentos constantes das despesas federais há duas décadas. Tivemos de considerar esforço principalmente focado nas despesas e na geração de receitas adicionais — disse Meirelles. 

De acordo com o ministro, sem receitas adicionais no próximo ano, o déficit ficaria em R$ 194 bilhões, considerando que as despesas obrigatórias seguirão a tendência de crescimento dos últimos anos.

O déficit primário é o resultado negativo nas contas públicas antes do pagamento dos juros da dívida pública. O novo valor será incluído, por meio de emenda, ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017, enviado ao Congresso Nacional em abril.

A alteração da meta fiscal tem sido usada pelo governo nos últimos anos. Para este ano, o Orçamento originalmente previa uma meta de superávit primário de R$ 30,5 bilhões. Por causa da queda das receitas decorrente da recessão econômica, a meta foi atualizada para um déficit de R$ 170,5 bilhões, aprovada pelo Congresso Nacional no fim de maio. 

Com a definição da meta para o próximo ano, o país terá o quarto ano seguido de déficit primário nas contas públicas. Em 2014, União, estados, municípios e estatais registraram rombo de R$ 32,5 bilhões. Em 2015, o resultado negativo subiu para R$ 111,2 bilhões.

*Agência Brasil

Jornal de Santa Catarina

Outras Notícias

PUBLICIDADE