Nível de contratações do Minha Casa Minha Vida é o mais baixo desde 2009

Nível de contratações do Minha Casa Minha Vida é o mais baixo desde 2009

Fernando Gomes / Agencia RBS

As contratações do Minha Casa Minha Vida neste ano fecharão no pior patamar desde o início do programa de habitação popular. Segundo dados do Ministério das Cidades, de janeiro a novembro, 365.269 moradias foram registradas. O número é mais baixo desde 2009, quando o programa foi lançado — à época, em nove meses, o governo contratou 286.213 unidades habitacionais.

Em todo ano de 2014, foram contratadas 515.499 moradias, resultado 46% inferior ao desempenho recorde de 2013, quando foram registradas quase 1 milhão de casas.

O MCMV só não parou em 2015 porque contou com os recursos do FGTS. Para a chamada faixa 1, foram direcionados R$ 3,3 bilhões para pagar as obras de 80 mil moradias que estavam em construção, mas paralisadas por causa dos atrasos do pagamento do governo às construtoras. O FGTS foi autorizado a custear até 80% do valor do imóvel neste ano, com limite de R$ 45 mil por moradia.

O fundo também é responsável pelos subsídios e descontos das faixas 2 e 3. As moradias desses dois grupos representam 96% do total que foi contratado em 2015. As contratações para a faixa 1, público que mais precisa do programa, ficaram praticamente paralisadas neste ano. Não houve contratações para os municípios com até 50 mil habitantes.

Desde maio de 2014, a presidente Dilma Rousseff anunciou várias vezes que as contratações da terceira etapa do programa começariam neste ano. Em uma das últimas promessas, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, disse, em outubro, em evento de entrega de casas, que a presidente assinaria as contratações da terceira fase "nas próximas semanas", o que não ocorreu.

Com isso, está praticamente decidido que o programa só começará a contratar moradias da terceira etapa em fevereiro de 2016. Será quase impossível para o governo, como se admite nos bastidores, cumprir a meta de contratar 3 milhões de moradias do MCMV 3 até 2018.

De acordo com os dados mais atualizados do programa, desde 2009, foram contratados 4,1 milhões de moradias, dos quais 2,4 milhões foram entregues. De acordo com Kassab, as casas que foram contratadas na segunda etapa (2011-2014) serão concluídas até meados de 2017.

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE