Operação Lava-Jato já tem 58 condenados

Operação Lava-Jato já tem 58 condenados

Alberto Youssef está preso em Curitiba (Foto: Aniele Nascimento / Agência de Notícias G/AE)

A 13ª Vara Federal de Curitiba acaba de divulgar um balanço da Operação Lava-Jato, a maior já realizada na história da Polícia Federal (PF). O titular daquele juizado, magistrado Sérgio Moro, condenou 58 réus em processos derivados dessa operação, desde o início de 2014. O total de penas a que são submetidos os condenados soma 680 anos, 8 meses e 25 dias.

Alguns dos réus foram condenados várias vezes. É o caso do campeão em condenações, o doleiro Alberto Youssef. Ele foi condenado em seis processos da Lava-Jato, a um total de 71 anos de prisão. Por ter colaborado de forma decisiva com a Justiça, porém, ele teve parte das penas suspensas e, em outros caso, reduzidas. Está recolhido num presídio de Curitiba e deve ficar ainda três anos preso em regime fechado.

Outro dos que encabeça o ranking de condenados é Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, indicado ao cargo pelo Partido Progressista (PP). Ele foi condenado cinco vezes, a um total de 35 anos de prisão. Por ter colaborado com a Justiça, delatando crimes de parceiros, deve ficar, no entanto, apenas mais três anos em regime de prisão domiciliar (em casa), cumprindo o restante em regime aberto.

Seguem-se a Youssef e Costa, no ranking, o doleiro Carlos Habib Chater ( condenado duas vezes), o ex-diretor da Diretoria Internacional da Petrobras Nestor Cerveró (condenado duas vezes) e o lobista Júlio Gerin Camargo (condenado duas vezes). Cerveró e Camargo, por terem feito delação premiada, terão as penas reduzidas - Camargo, inclusive, está solto, em regime aberto.

No total, a Lava-Jato tem 69 condenações (alguns réus com mais de uma condenação).

Desde março de 2014 a Lava-Jato prendeu 116 pessoas, firmou 35 acordos de colaboração premiada e 4 acordos de leniência (quando a colaboração é firmada por uma empresa). Os crimes denunciados envolvem R$ 6,4 bilhões em desvio da Petrobras e outras estatais. Desse total, a Justiça já conseguiu firmar acordos para recuperar R$ 1,8 bilhão.

*Zero Hora

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE