Polícia Federal deflagra 23ª fase da Operação Lava-Jato

Polícia Federal deflagra 23ª fase da Operação Lava-Jato

Foto: MARCOS BEZERRA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A Polícia Federal iniciou, na manhã desta segunda-feira, uma nova fase da operação Lava-Jato. Nesta etapa, as diligências estão sendo realizadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. 

Um dos alvos é o publicitário João Santana, que foi marqueteiro das campanhas da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A operação decretou a prisão temporária dele e de sua mulher, mas Santana ainda não foi preso porque está no Exterior. A suspeita é que esteja na República Dominicana, onde trabalha na tentativa de reeleger o atual presidente, Danilo Medina.

Também são alvo desta etapa a empreiteira Odebrecht e o engenheiro Zwi Skornicki, que operava propinas no esquema da Petrobras. O inquérito investiga supostos pagamentos de R$ 7 milhões ao marqueteiro pela Odebrecht em paraísos fiscais. 

A 23ª fase foi batizada Acarajé, em referência à expressão que alguns investigados usavam para se referir a dinheiro em espécie.

Cerca de 300 policiais federais cumprem 51 mandados judiciais, sendo 38 de busca e apreensão, 2 de prisão preventiva, 6 de prisão temporária e 5 de condução coercitiva. 

Os mandados são cumpridos nas cidades de Salvados e Camaçari, na Bahia, no Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Petrópolis e Mangaratiba, no RJ, e nas cidades de São Paulo, Campinas e Poá, em SP.  

A nova fase ocorre menos deu mês depois da operação Triplo X, realizada em 27 de janeiro em São Paulo e Santa Catarina. A 22ª etapa mirou apartamentos da empreiteira OAS que, segundo investigações, teriam sido usados para repasse de propina do esquema de corrupção da Petrobras. 

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE