Quase 60 milhões de brasileiros têm dívidas em atraso, diz Serasa

A lista de devedores pessoas físicas somou, em agosto, 57,2 milhões e o volume financeiro ficou em R$ 246 bilhões, informou a Serasa. Os atrasos nos pagamentos de empresas totalizaram 4 milhões de casos, que alcançaram R$ 91 bilhões.

Quase a metade (46%) das empresas com dívidas em atraso é da área do comércio (setores de bebidas, vestuário, veículos e peças, eletrônicos, entre outros). Também há expressiva parcela (44%) concentrada no setor de serviços (bares, restaurantes, salões de beleza e turismo, entre outros) e 9% na área industrial.

Os dados são de um estudo feito pela Serasa Experian. A empresa alerta que hoje (10) é o último dia para que os empresários renegociem o pagamento por meio do Feirão Limpa Nome Online. Para isso basta acessar o endereço: www.limpanomeempresas.com.br.

O serviço é gratuito e permite que os devedores chequem se têm alguma pendência com 90 credores cadastrados, façam renegociações e obtenham propostas de pagamento em condições especiais, com chance inclusive de conseguir descontos vantajosos de até 80%.

Este é o segundo evento do gênero e, de acordo com a Serasa Experian, a procura foi dez vezes maior do que no feirão anterior. A maioria dos interessados, 89%, é formada por micro ou pequenas, das quais 44% estão instaladas em São Paulo. Em seguida, vêm o Rio de Janeiro (9%), Minas Gerais (8%) e Paraná (6%). Por região, o Sudeste aparece lidera a lista, com 63%; seguido pelo Nordeste, com 14%; Sul, com 1, 3%; Centro-Oeste, com 6%; e Norte, com 4%.

As empresas que se cadastrarem ganharão o direito de usufruir por 30 dias, gratuitamente, o serviço MeProteja Empresas. Nesse serviço, o empresário pode ser avisado sobre qualquer alteração nos documentos cadastrados; receber alertas sobre inclusão ou exclusão de protestos, pendências financeiras, recuperações judiciais e extrajudiciais, falências e ações cíveis.

Além disso, as empresas cadastradas são informadas sobre a inclusão de dívidas bancárias e não bancárias em nome da companhia, antes da divulgação ao mercado. Isso confere às empresas tempo hábil para a tomada de decisões que possam reverter a situação. “Cadastro Positivo pode ajudar as empresas na tomada de crédito”, diz a nota do Serasa.

Agência Brasil 

Outras Notícias

PUBLICIDADE