Região Sul é a mais segura para compras na internet

Região Sul é a mais segura para compras na internet

Divulgação / Shutterstock

A segunda edição do Mapa da Fraude no Brasil mostra que a região Sul do Brasil continua sendo a mais segura para compras na internet. Durante o período analisado, apenas 2,4% das transações registradas eram tentativas de fraude. Na prática, isso significa que de cada R$ 100 gastos online, R$ 2,40 na verdade não foram feitos em lojas verdadeiras ou eram algum outra forma de roubar o seu dinheiro pela internet.

Em relação às fraudes por Estado, a situação não é muito tranquila para os catarinenses. Santa Catarina alcançou o maior crescimento em tentativas de fraude, subindo de 1,7% para 2,4% em 2015. O Rio Grande do Sul continua com o menor índice de tentativas de fraude, com 2%.  E o Paraná registrou aumento de 0,5%, indo de 2,3% para 2,8%.

— É sempre legal entender que, para o consumidor final, é bom ter essa maior segurança. Mas tem que prestar atenção sempre ao fazer as compras — Henrique Martins, coordenador de inteligência estatística da ClearSale, empresa especializada em tecnologias anti-fraude e autora do levantamento.

Cuidados para as compras online

1) Tem que desconfiar de preços muito muito baixos

2) Cuidado com sites falsos, normalmente com links enviados em falsas promoções por e-mail

3) Ao invés de entrar um loja pelo e-mail promocianal, faça uma busca para encontrar o link do site

4) As páginas de lojas não podem nunca pedir a sua senha. Se pedir, desista imediatamente da compra

5) Em abordagens por telefone, tome cuidado para não passar nenhum dado pessoal

Os produtos mais fraudados

No que diz respeito aos segmentos mais procurados pelos fraudadores no Sul, o ranking permaneceu igual ao primeiro semestre de 2014 nas três primeiras posições. O setor de aparelhos e jogos de videogame continua à frente, com 6,3%, seguido de telefonia celular (6,2%) e acessórios (3,3%). Produtos de beleza (2,9%) e eletrônicos (2,8%) ficam em quarto e quinto lugar.

Em âmbito nacional, as categorias mais procuradas pelos fraudadores também são videogames e telefonia celular, com 12,7% e 10,6%, respectivamente. 

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE