Senado Federal mantém prisão do senador Delcídio Amaral

Senado Federal mantém prisão do senador Delcídio Amaral

Foto: Geraldo Magela / Agência Senado

Em sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira, o Senado Federal autorizou a prisão do líder do governo na Casa, Delcídio Amaral (PT-MS). Foram 59 votos a favor da reclusão, 13 contrários e uma abstenção. Para revogar a decisão do STF de prender o senador eram necessários 41 votos contra.

O artigo 53 da Constituição Federal define que a prisão de senador ou deputado deve ser decidida pela maioria dos votos da casa legislativa correspondente ao investigado.

O senador Delcídio Amaral foi preso na manhã desta quarta-feira pela Polícia Federal, acusado de tentar destruir provas contra ele e prejudicar as investigações da Operação Lava-Jato. Ele teria negociado com o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró para que ele não aceitasse acordo de delação premiada com o Ministério Público. Delcídio teria oferecido o valor de R$ 50 mil mensais para que Cerveró não participasse da delação, e planejado a possibilidade de fuga. 

O pedido de prisão foi aceito pelo STF, que realizou uma sessão extraordinária na manhã desta quarta-feira, quando o relator da Operação Lava-Jato, Teori Zavascki, explicou aos ministros da 2ª Turma da Suprema Corte os motivos de ter autorizado a prisão.

Também foram detidas outras três pessoas: o chefe do gabinete, Diogo Ferreira; o advogado do senador, Edson Ribeiro; e o banqueiro André Esteves, dono do BTG Pactual, que também estariam envolvidos nas irregularidades.

Delcídio foi preso no hotel Golden Tulip, onde mora em Brasília, mesmo local onde, na terça-feira, a PF prendeu o empresário José Carlos Bumlai. A PF também fez busca e apreensão no gabinete do petista, no Senado, em Brasília, e nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

*Zero Hora

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE