Temer decreta luto nacional e envia aviões da FAB a Chapecó

Temer decreta luto nacional e envia aviões da FAB a Chapecó

Foto: Cr Wilson Pardo / Policía Antioquia

Santa Catarina e o futebol brasileiro estão de luto. Estamos todos impactados com esta noticia da tragédia aérea com a delegação da Chapecoense que iria disputar a final da Sul Americana. O clube catarinense vivia sua melhor fase, conquistando não só os corações do povo do oeste, mas dos torcedores de todo o Estado.

A lista dos passageiros inclui, além de jogadores, dirigentes da Chapecoense e jornalistas, também o presidente da Assembleia, Gelson Merisio, o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon e o presidente da FCF, Delfin Peixoto Filho. O presidente Gelson Merisio não viajou, em função de atividades na Assembleia. Emitiu nota de pesar sobre este triste acontecimento. Está neste momento reunido na Casa da Agronômica com o governador Raimundo Colombo e o deputado federal João Rodrigues, que é de Chapecó.

O prefeito Luciano Buligon também não estava no voo. Ele ficou em São Paulo e decidiu viajar hoje para Medelin em voo comercial. Durante a manhã concedeu entrevista ao Bom Dia Brasil da Rede Globo, falando sobre a trajetória da Chapecoense e da decisão de permanecer na capital paulista, onde tinha compromisso oficial. Com ele também ficou em São Paulo o empresário Plinio de Nez Filho, presidente do Conselho da Chapecoense. Visivelmente abalado, Plininho, um incentivador do esporte no oeste há décadas, sentiu-se mal no estúdio da Globo em São Paulo.

O governador Raimundo Colombo e o presidente Temer emitiram notas oficiais de pesar pela tragédia e da solidariedade às famílias. Luto oficial foi decretado em Santa Catarina e no Brasil pelas duas autoridades. O presidente determinou que dois aviões da FAB sejam deslocados para Chapecó, afim de transportar familiares das vítimas até a Colômbia.

O presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfin de Padua Peixoto Filho, também estava na delegação. Além das mortes, lamentáveis sob todos os títulos, a registrar que a Chapecoense vivia uma fase extraordinária no futebol catarinense, dando muitas alegrias aos torcedores e a população do oeste e de Santa Catarina.

Neste momento de dor, fundamental toda atenção das autoridades aos falecidos e de solidariedade a todas as famílias enlutadas.

Por Moacir Pereira / ClicRBS

Outras Notícias

PUBLICIDADE