WhatsApp afirma cooperar com investigações e diz que bloqueio prejudica 100 milhões de pessoas

WhatsApp afirma cooperar com investigações e diz que bloqueio prejudica 100 milhões de pessoas

Foto: Felipe Nogs / Agencia RBS

O WhatsApp se manifestou sobre o bloqueio do serviço no Brasil. As operadoras de telefonia tiveram de parar o funcionamento do aplicativo desde as 14h após determinação judicial. A decisão foi tomada pelo juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto, no Sergipe. As informações são dos jornais O Globo e Folha de S.Paulo.

Por meio de nota, o WhatsApp garantiu que coopera com as autoridades brasileiras "com toda a extensão da nossa capacidade" e que a determinação pune mais de 100 milhões de brasileiros que dependem do serviço para se comunicar. A nota disse ainda que a Justiça tem forçado a empresa a entregar informações que ela não tem.

De acordo com a Agência de Notícias do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), o magistrado atende a uma medida cautelar ingressada pela Polícia Federal, aprovada pelo Ministério Público, em razão de a empresa não ter respeitado uma determinação de quebra de sigilo de mensagens trocadas no aplicativo para fins de investigação criminal sobre crime organizado de tráfico de drogas em Lagarto.

Confira a nota oficial do WhatsApp:

"Depois de cooperar com toda a extensão da nossa capacidade com os tribunais brasileiros, estamos desapontados que um juiz de Sergipe decidiu mais uma vez ordenar o bloqueio de WhatsApp no Brasil. Esta decisão pune mais de 100 milhões de brasileiros que dependem do nosso serviço para se comunicar, administrar os seus negócios e muito mais, para nos forçar a entregar informações que afirmamos repetidamente que nós não temos".

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE