Após Raupp virar réu na Lava-Jato, PMDB cancela reunião de Executiva Nacional

Após Raupp virar réu na Lava-Jato, PMDB cancela reunião de Executiva Nacional

Foto: Ana Volpe / Agência Senado

Prevista para ser realizada na tarde desta quarta-feira, a reunião da Executiva Nacional do PMDB foi cancelada para se evitar constrangimentos oriundos da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que tornou réu o senador e tesoureiro adjunto do PMDB, Valdir Raupp (RO).

A saia justa teve como origem uma carta apresentada por deputados da legenda, na véspera da reunião, em que foi pedido o afastamento, do comando nacional do partido, de todos os dirigentes acusados de envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava-Jato. O documento foi assinado por Carlos Marun (MS); Hildo Rocha (MA); João Arruda (PR) e Lúcio Mosquini (RO).

No mesmo dia da apresentação da carta, a 2ª Turma do STF aceitou a denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Valdir Raupp pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com a acusação, os recursos doados oficialmente pela construtora Queiroz Galvão à campanha de Raupp ao Senado em 2010 seriam "propina disfarçada". Além disso, teriam origem no esquema de corrupção estabelecido na Diretoria de Abastecimento da Petrobras.

— Foi cancelada por solidariedade ao Raupp. Apesar de ser uma ação isolada (o pedido de afastamento dos dirigentes) o encontro seria tumultuado. Teríamos alguns constrangimentos — afirmou um integrante da Executiva do PMDB, que não quis se identificar.

*Agência Brasil

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE