Deputados derrubam decisão de Maranhão e antecipam eleição para a presidência da Câmara

Pleito está marcado para a próxima terça-feira, às 14h.

Deputados derrubam decisão de Maranhão e antecipam eleição para a presidência da Câmara

Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Líderes dos partidos na Câmara decidiram, no início da noite desta quinta-feira, antecipar para a próxima terça-feira, às 14h, a eleição para a presidência da Casa. O colegiado desautorizou decisão do presidente interino Waldir Maranhão (PP-MA), que havia marcado o pleito para quinta-feira, às 16h. 

Segundo o líder do PTB, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que presidiu a reunião, líderes que representam 280 deputados decidiram que as inscrições de candidaturas podem ocorrer até ao meio dia de terça. Até agora, somente o deputado Fausto Pinato (PP-SP) registrou oficialmente, na Secretaria Geral da Mesa, sua candidatura à Presidência da Câmara.

Tanto Jovair Arantes quanto o líder do governo, deputado André Moura (PSC-SE), rebateram as insinuações de que a mudança de data fosse uma manobra para beneficiar Eduardo Cunha, que anunciou a renúncia no início da tarde. Ele ocupava o posto até ser afastado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em maio.

O deputado eleito presidente atuará por somente sete meses, até fevereiro, quando nova eleição para o biênio 2017-2018 será realizada. Todos os parlamentares no exercício do mandato em Brasília poderão se candidatar.

A eleição será secreta e ocorrerá por meio do sistema eletrônico. Para vencer, o candidato deve ter maioria absoluta dos votos na Câmara – a metade mais um dos 513 parlamentares. Caso o candidato à presidência não conseguir a maioria absoluta dos votos no primeiro turno, um segundo turno será convocado. Neste caso, bastará maioria simples dos votos para eleger o novo presidente da Câmara. O quórum mínimo para início da sessão é de 257 deputados.

Débora Cademartori / Jornal de Santa Catarina 

Outras Notícias

PUBLICIDADE