Para Gilmar Mendes, PT tinha 'plano perfeito' para se 'eternizar' no poder

Para ele, investigações mostram 'cleptocracia' como modelo de governança.

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes afirmou nesta sexta-feira (18) que o PT tinha o "plano perfeito" para se "eternizar" no poder, mas que a Operação Lava Jato, "estragou tudo".

Mendes deu a declaração após participar de seminário na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista.

Na avaliação do ministro, que em votação no Supremo nesta semana se posicionou a favor do financiamento de empresas em campanhas eleitorais, o PT é contra esse tipo de doação porque o partido conseguiu em propinas dinheiro para disputar as "eleições até 2038". "E deixariam os caraminguás para os demais partidos. Era uma forma fácil de se eternizar no poder", afirmou o ministro.

"O partido já tinha esse dinheiro. Estava captando, como vocês sabem, nesse modelo que está sendo revelado da Lava-Jato. O que atrapalhou todo esse projeto, que era um projeto de consolidação do grupo do poder, no poder, eternização? O que atrapalhou? A Lava Jato. A Lava Jato estragou tudo. Evidente que a Lava Jato não estava nos planos [...] O plano era perfeito, mas não combinaram com os russos", completou o ministro.

Procurado pelo G1, o PT disse que, por ora, não vai se manifestar sobre as declarações do ministro Mendes desta sexta-feira. O partido afirmou que mantém a posição da nota divulgada nesta quinta, na qual a sigla rebateu críticas de Mendes feitas durante o julgamento sobre financiamento empresarial de campanha. Na nota, o PT afirmava que "Gilmar Mendes falta com a verdade quando atribui ao PT oportunismo na decisão de condenar o financiamento empresarial"."A série de impropérios assacada por Mendes durante as longas horas que durou seu voto ofende até os demais ministros que integram a Suprema Corte.", continua o texto assinado pelo PT.

Cleptocracia

O ministro também afirmou após o seminário na Fiesp que o esquema investigado pela Lava Jato revela um "modelo de governança corrupta" que, para ele, pode ser chamado de "cleptocracia".

"Toda essa estrutura que eles montaram em torna dessa... Na verdade no que se instalou no país nesses últimos anos e está sendo revelado na Lava Jato. É um modelo de governânça corrupta, algo que merece o nome claro de cleptocracia. Isso que se instalou", disse Mendes.

G1 Brasília 

Outras Notícias

PUBLICIDADE