Polícia Federal quer ouvir Lula e ex-ministros do PT

Pedido consta em inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal

Polícia Federal quer ouvir Lula e ex-ministros do PT

Foto: Miguel Schincariol / AFP

Em um dos inquéritos decorrentes da Operação Lava-Jato que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal solicitou o depoimento do ex-presidente Lula e dos ex-ministros José Dirceu, Gilberto Carvalho e Ideli Salvatti. Cabe ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ratificar o pedido feito ao STF para ouvir os petistas.

Além de Lula, a PF solicita os depoimentos dos ex-presidentes da Petrobras Sergio Gabrielli e José Eduardo Dutra, do presidente do PT Rui Falcão e de José de Filippi Júnior, tesoureiro das campanhas de Lula (2006) e Dilma Rousseff (2010).

Os pedidos de depoimentos foram feitos dentro das investigações do inquérito 3989, considerado o "inquérito-mãe" da Lava-Jato no STF, porque envolve 39 investigados de diferentes partidos. É neste inquérito que se apura a distribuição de dinheiro desviado da Petrobras para PT, PMDB e PP, caso que inclui seis nomes do PP-RS.

Assinada pelo delegado Josélio Azevedo de Sousa, o requerimento que pede os depoimentos de Lula e de ex-ministros dos governos petistas é acompanhada da solicitação de mais 80 dias para conclusão da investigação. Janot deve oficializar o pleito ao ministro Teori Zavascki, relator do caso.

Os depoimentos de políticos ligados ao PT tratam da apuração do envolvimento do partido e do primeiro escalão do governo federal no esquema de corrupção da Petrobras. No requerimento, a polícia diz que a investigação precisa desvendar uma eventual participação de Lula, que "na condição de mandatário máximo do país, pode ter sido beneficiado pelo esquema em curso na Petrobras, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidário sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal."

Para embasar o pedido de depoimento de Lula, a PF cita as delações premiadas do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, e do doleiro Alberto Youssef, que "presumem que o ex-presidente da República tivesse conhecimento do esquema de corrupção descortinado na Petrobras em razão das características e da dimensão do mesmo. Os colaboradores, porém, não dispõem de elementos concretos que impliquem a participação direta do então presidente Lula nos fatos".

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE