Razões para impeachment são "inconsistentes", diz Dilma Rousseff

Razões para impeachment são

Foto: Evaristo Sa / AFP

Depois do anúncio do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que decidiu autorizar a abertura do processo de impeachment, a presidente Dilma Rousseff reagiu e afirmou, em pronunciamento oficial, que confia nas instituições e no Estado democrático de direito para o arquivamento do pedido. Dilma declarou que recebeu a notícia com indignação e que as denúncias contra ela são inconsistentes.

— Recebi com indignação a decisão do senhor presidente da Câmara de abrir o processo de pedido de impeachment. São inconsistentes e improcedentes as razões que fundamentam esse pedido — disse Dilma. 

— Tenho a convicção e absoluta tranquilidade quanto à improcedência desse pedido, bem como o seu justo arquivamento. Não podemos deixar que as conveniências indefensáveis e os interesses abalarem a democracia e a estabilidade de nosso país. Devemos ter tranquilidade e confiar nas nossas instituições e no Estado democrático de direito — acrescentou.

— Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim. Não paira contra mim nenhuma suspeita de desvio de dinheiro público. Não possuo conta no exterior — declarou.

Antes do pronunciamento, que durou cerca de três minutos, Dilma convocou os principais ministros e assessores para fechar o discurso oficial que seria lido por ela.

Segundo Eduardo Cunha, o pedido de impeachment havia sido protocolado no dia 14 de outubro pelos advogados Hélio Bicudo, Miguel Reale Junior e Janaína Paschoal, e é fundamentado em denúncias de irregularidades cometidas pela presidente em 2015.

O anúncio de Cunha ocorre no mesmo dia em que a bancada do PT declarou que votaria a favor da admissibilidade do processo por quebra de decoro parlamentar a que o peemedebista responde no Conselho de Ética da Câmara.

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE