Serra diz que diplomacia não será regida por interesses partidários

Serra diz que diplomacia não será regida por interesses partidários

José Serra, em evento nesta quarta-feira (Foto: Valter Campanato / Agência Brasil)

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, anunciou, nesta quarta-feira, dez diretrizes que nortearão os novos rumos da política externa brasileira. Entre os principais pontos estão o fortalecimento de parcerias bilaterais com Argentina, por "semelhanças políticas e econômicas", e a intensificação das relações com países asiáticos China e Índia.

Serra destacou que a pasta atuará com outros ministérios, como Defesa, Planejamento e Fazenda para reverter o quadro que considerou "penúria de recursos" no Itamaraty.

— Quero retirar o Itamaraty gradativamente da penúria de recursos em que foi deixado pela irresponsabilidade fiscal que dominou a economia brasileira nesta última década — disse. — Nossa política externa será regida pelos valores do Estado e da nação, não de um governo, jamais de um partido — completou.

O ministro informou ainda que atuará para reduzir o chamado "Custo Brasil", que, segundo ele, impõe acréscimo de 25% em mercadorias e produtos com os custos de tributação do país.

Temas como meio ambiente, direitos humanos e proteção do território brasileiro no combate ao contrabando de armas e mercadorias e o tráfico de drogas também fazem parte das diretrizes apresentadas por Serra.

— Vou trabalhar muito, apresentar e receber idéias, tomar iniciativas e delegar responsabilidades, cobrar resultados e promover negociações efetivas, bem como ter presença marcante. Longe de cumprir um calendário de visitas inócuas para cumprir tabelas — acrescentou.

José Serra substituiu Mauro Vieira, diplomata de carreira e com 43 anos de atuação no Itamaraty. O ex-ministro ocupou o cargo por 17 meses.

*Agência Brasil

Jornal de Santa Catarina 

Outras Notícias

PUBLICIDADE