Campanha de vacinação contra HPV busca imunizar 5 milhões de meninas no país

Santa Catarina espera contar com apoio das escolas e reforçar ação entre os dias 21 e 25 de setembro

Campanha de vacinação contra HPV busca imunizar 5 milhões de meninas no país

Santa Catarina espera vacinar 149 mil meninas entre 9 e 13 anos (Foto: Gabriel Lain / Especial)

Neste mês o Brasil fecha o segundo ano da campanha de vacinação contra o Papiloma Vírus Humano (HPV), responsável pelo câncer de colo de útero, que atinge todo ano 15 mil mulheres brasileiras e mata outras cinco mil segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Com médias abaixo da meta de vacinação, o objetivo do Ministério da Saúde é imunizar até 5 milhões de meninas entre 9 e 13 anos em todo o país. Em Santa Catarina, o intuito é atingir 149 mil adolescentes.

Apenas em março de 2014 - quando a vacina passou a estar disponível na rede pública pelo Programa Nacional de Imunização - o país atingiu o objetivo da campanha, superando os 100% da população-alvo. Em setembro de 2014, quando foi aplicada a segunda dose, os índices despencaram, e novamente, em março de 2015, ficaram abaixo do esperado.

A campanha de divulgação da vacina em Santa Catarina seguirá a proposta nacional de aproximação com as escolas públicas e privadas para tentar repetir o sucesso de março de 2014. Entre os dias 21 e 25 de setembro irá ocorrer a Semana Estadual de Intensificação da Vacinação contra o HPV em todo o Estado. Enquanto isso, a Vigilância das Doenças Imunopreviníveis e Imunização do Estado de Santa Catarina trabalha para realinhar as parcerias com as escolas.

— Acredito que vamos melhorar, e a abertura das escolas é a nossa esperança. Há um plano de estratégias que envolve escolas e movimentos de educação com professores e pais — explica Vanessa Vieira da Silva, gerente de Vigilância das Doenças Imunopreviníveis e Imunização do Estado de Santa Catarina.

A vacina quadrivalente do HPV que imuniza contra os vírus 16, 18, 11, e 6 está disponível durante todo o ano na rede pública de saúde, mas durante os meses de março e setembro há um reforço da campanha de divulgação. Além das meninas de 9 a 13 anos, o objetivo também é vacinar meninas e mulheres de 9 a 26 anos que vivem com HIV.

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE