Dia da Imunização: Saiba quais as vacinas que devem ser tomadas por adultos

Dia da Imunização: Saiba quais as vacinas que devem ser tomadas por adultos

Doses estão disponíveis na rede pública de saúde (Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS)

Está enganado quem pensa que ao atingir a idade adulta as pessoas podem esquecer a carteira de vacinação. As imunizações para a maior idade são tão importantes quanto as da infância. Há proteções disponíveis na rede pública de saúde contra doenças como sarampo, rubéola, caxumba, difteria, tétano, febre amarela, gripe e hepatite B. No Dia Nacional da Imunização, celebrado nesta quinta-feira, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) reforça a importância dos adultos atualizarem o esquema vacinal. 

— Os adultos também têm direito à proteção que as vacinas oferecem. Porém, muitas pessoas não sabem disso — alerta Vanessa Vieira da Silva, gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC).

A pessoa que não localizar a carteira de vacinação e não lembrar se já recebeu as vacinas deve se imunizar. Essas vacinas são oferecidas gratuitamente na rede pública de saúde durante todo o ano, à exceção da vacina da gripe, que é disponibilizada apenas para os grupos prioritários durante o período da campanha (que este ano foi até 20 de maio). 

Imunizações necessárias:

Dupla Tipo Adulto 

Única forma de prevenção contra o tétano, uma doença grave e que pode levar à morte, causada por uma toxina produzida pelo bacilo tetânico que entra no organismo por meio de ferimentos ou lesões na pele. Essa vacina também oferece proteção contra a difteria, uma doença infecciosa aguda que atinge o sistema respiratório, causada por um bacilo que atinge as amígdalas, a faringe, o nariz e a pele.  É indicada a partir dos 7 anos de idade e deve ser aplicada a cada 10 anos por todas as pessoas, em três doses.

Tríplice Viral 

Protege contra sarampo, rubéola e caxumba e deve ser tomada por adultos entre 20 e 59 anos, em uma dose. Importante ressaltar que o sarampo facilita o aparecimento de outras doenças, como pneumonia e diarreias, e pode levar à morte. A rubéola pode ser perigosa em gestantes, pois pode causar má formação congênita no feto, das quais a surdez é a mais comum. A caxumba pode apresentar complicações como meningite viral, inflamação dos ovários e testículos e, mais raramente, pancreatite.

Febre Amarela

É a única forma de evitar a doença. Deve ser tomada por adultos entre 20 e 59 anos, em duas doses, com intervalo de 10 anos. A Febre Amarela é uma doença que pode ter curta duração ou evoluir para formas graves e levar até mesmo à morte. Apesar de Santa Catarina não registrar casos de febre amarela em humanos desde 1966, a vacinação contra  a doença é indicada para a população dos 162 municípios catarinenses que integram a Área com Recomendação de Vacina contra Febre Amarela.

Além da população residente nestes municípios, a vacinação é recomendada para todos os viajantes que se deslocarem para qualquer um dos 3.530 municípios brasileiros considerados Área com Recomendação de Vacina. Alguns países, como Bolívia e Austrália, além de diversos africanos, também exigem o certificado da vacina contra febre amarela. Quem ainda não é vacinado e pretende viajar para essas áreas deve procurar um posto de vacinação pelo menos 10 dias antes da viagem. Confira os municípios de Santa Catarina que integram a Área com Recomendação de Vacina aqui.

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE