Fabricantes vão deixar de vender refrigerante para escolas com crianças de até 12 anos no Brasil

Fabricantes vão deixar de vender refrigerante para escolas com crianças de até 12 anos no Brasil

Foto: Stock.Xchng / Divulgação

A partir de agosto, Coca-Cola Brasil, Ambev e PepsiCo Brasil vão mudar o portfólio de produtos comercializados em escolas. A principal mudança, anunciada em comunicado conjunto nesta quarta-feira, é o fim da venda de refrigerantes para as cantinas de instituições de educação básica, com alunos de até 12 anos. As três fabricantes afirmam que venderão apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendem critérios nutricionais específicos (ainda não detalhados).

"No momento do recreio, os alunos têm acesso às cantinas escolares sem a orientação e a companhia de pais e responsáveis, e crianças abaixo de 12 anos ainda não têm maturidade para tomar decisões de consumo. Coca-Cola Brasil, Ambev e PepsiCo Brasil entendem que devem auxiliar os pais ou responsáveis a moldar um ambiente em escolas que facilite escolhas mais adequadas para crianças em idade escolar, assim como estimular a hidratação e a nutrição, contribuindo para uma alimentação mais equilibrada", diz o comunicado das empresas.

Na semana passada, foi aprovado em comissão na Câmara dos Deputados projeto de lei que proíbe a venda de refrigerantes nas escolas de educação básica. O texto deve passar por outra comissão antes de ir a plenário.

— Uma questão importante é que a grande maioria dos sucos e chás por elas produzidos tem açúcar. Muitas vezes, igual teor que os refrigerantes. O ideal é estimular o consumo de água e sucos naturais — comenta a vice-presidente do Conselho Regional de Nutricionistas, Carmem Franco.

*ZH e Rádio Gaúcha

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE