Fiat Uno também entra em recall por 'airbags mortais' no Brasil

Dispositivos podem lançar fragmentos de metal contra passageiros. Falha está relacionada a 11 mortes nos Estados Unidos.

Fiat Uno também entra em recall por 'airbags mortais' no Brasil

Fiat Uno 2015 (Foto: Divulgação)

Depois do Jeep Renegade na segunda-feira, a Fiat Chrysler anunciou nesta terça-feira (25) outro recall dos chamados "airbags mortais" no Brasil. Desta vez, o modelo afetado é o Fiat Uno, ano/modelo 2015/2016.

CHASSIS ENVOLVIDOS
De 9BD195A6MG0714811 a 9BD195A6MG0752858

O problema no dispositivo de segurança, que já causou 11 mortes nos Estados Unidos, afeta as versões Attractive, Way 1.0, Way 1.4, Evolution e Sporting.

De acordo com a fabricante, em caso de colisão com acionamento do airbag frontal do passageiro, o inflador do dispositivo de segurança poderá romper-se provocando a dispersão de fragmentos de metal.

Os proprietários devem agendar a troca gratuita do módulo do airbag em uma concessionária Fiat. O atendimento começa em 31 de outubro e deve levar cerca de 2 horas.

Desde 2013

O defeito nos airbags da Takata veio à tona em 2013. No ano passado, uma investigação encomendada pelas montadoras descobriu que o nitrato de amônio, em contato com umidade, trinca a carcaça metálica.

A bolsa acaba abrindo com muita força, estilhaça a peça e atira pedaços de metal contra os ocupantes do veículo. Os ferimentos são semelhantes a facadas, segundo relatos.

Ainda não há registro de vítimas no Brasil, mas outras 12 marcas já anunciaram recalls devido ao problema.

Outras 5 fatalidades na Malásia também foram ligadas ao defeito, mas ainda não há confirmação da causa da morte nestes casos.

Importância do recall

Não existe recall por defeito que não seja sério. Segundo o Código de Defesa do Consumidor, o chamado deve ser feito quando houver um defeito de fabricação que coloque em risco a vida do usuário.

Uma vez anunciado o recall, não existe limite de data para fazê-lo. O que pode ocorrer é a montadora determinar uma data de início do atendimento, e não uma para o fim.

Qualquer problema como demora no agendamento, lentidão no reparo e mau atendimento deve ser denunciado no Procon local. Os consertos devem ser totalmente gratuitos.

Auto Esporte / G1

Outras Notícias

PUBLICIDADE