Maio Amarelo conscientiza sociedade para a redução de mortes no trânsito

A campanha "Maio Amarelo",movimento internacional de mobilização e conscientização para redução de acidentes no trânsito, traz neste ano o apelo de que a "epidemia" de mortes precisa parar. "Somos 43 mil mortos no trânsito no Brasil", alerta material de divulgação. O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), ligado ao Ministério das Cidades, já prepara ações para o movimento.

Para o diretor do Denatran e presidente do Conselho Nacional de trânsito (Contran), Alberto Angerami, o movimento é muito importante para chamar a atenção e conscientizar sobre a segurança no trânsito e colocar essas questões em pauta. "Seja como for: a pé, pedalando ou dirigindo, é preciso ir com cuidado e respeito à legislação", afirmou Angerami.

O Maio Amarelo é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil, envolvendo órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações e federações para discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige em diferentes esferas.

"O movimento destaca atividades e dá grande visibilidade ao tema tratado no Sistema Nacional de Trânsito, de preservação da vida, chamando a atenção de toda a sociedade para a segurança no trânsito, uma vez que este é o responsável por milhares de mortos e feridos em todo o mundo", ressaltou o diretor.

Para conhecer a agenda das ações realizadas em todo o País, bem como manual para as organizar, acesse o site do Maio Amarelo.

Por que Maio Amarelo? 

A cor amarela foi escolhida por simbolizar atenção, em referência à sinalização de advertência no trânsito. Já o mês foi escolhido por ter uma ligação com a história de segurança no trânsito, uma vez que foi em maio de 2011 que a ONU decretou a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. A meta é reduzir pela metade os acidentes de trânsito em todo o mundo. Também neste mês acontece a Semana Mundial de Segurança do Pedestre, conhecida como Campanha Zenani Mandela, em memória à neta de Nelson Mandela.

Autor Texto: Portal Brasil

Outras Notícias

PUBLICIDADE