Advogados de SC sugerem nome de juiz catarinense para assumir cadeira de Teori Zavascki no STF

Advogados de SC sugerem nome de juiz catarinense para assumir cadeira de Teori Zavascki no STF

Alexandre Morais da Rosa (Foto: Arquivo pessoal / Facebook)

Um dia após a morte do ministro catarinense do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, o Instituto dos Advogados de Santa Catarina (IASC) lançou o nome do juiz de Florianópolis Alexandre Morais da Rosa como candidato a assumir a cadeira que ficou vazia após o acidente aéreo desta quinta-feira em Paraty (RJ). A sugestão dos profissionais veio em nota oficial divulgada nesta sexta-feira. O texto é assinado por Ricardo José da Rosa, presidente da entidade.

Depois de reiterar o lamento pela "trágica e prematura" morte do ministro, o documento afirma que a decisão "centra-se não só nas qualidades humanas e intelectuais" do juiz, mas também no "plano da investigação científica e  dimensões da competência, altivez, serenidade e isenção no exercício do cargo".

Em entrevista ao DC, o presidente da IASC diz que, como Teori é catarinense, nada mais justo de que outro representante do Estado possa assumir a cadeira deixada por ele.

— É um juiz capacitado que teria plenas condições de suprir esse posto deixado pelo Teori — explicou Rosa.

O presidente diz que Alexandre já foi comunicado da decisão da diretoria da entidade, que tem 230 integrantes no Estado. Rosa afirma que a decisão de divulgar a nota somente um dia após a morte do ministro se baseia na intenção do presidente Michel Temer em divulgar em breve o nome do substituto de Teori Zavaski.

— Não adianta haver a sugestão depois que a vaga for preenchida. Fomos forçados a acelerar, mesmo lamentando a morte tivemos que tomar esse posicionamento — justificou-se.

A nota será enviada também para o presidente Michel Temer e os deputados catarinenses no Congresso Nacional. Alexandre Morais da Rosa atualmente é juiz auxiliar da Presidência do Tribunal de Justiça (TJ-SC).

Juiz diz que momento é de luto e respeito aos familiares

Procurado pela reportagem, o juiz Alexandre Morais da Rosa disse que ficou orgulhoso de ter sido lembrado, mas que o momento é de luto e respeito aos familiares e parentes do ministro.

– O momento é de lamentar a morte do ministro e demonstrar respeito à família. Fico feliz de ter sido lembrado, mas acho precipitado qualquer ponderação. Tem muita gente competente para ocupar o cargo. O momento é de luto.

Por Anderson Silva / Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE