Família relembra visitas de Teori a cidade-natal: 'Esse aí é o ministro?'

Ele ia a Faxinal dos Guedes até 3 vezes ao ano. 'Era simples', diz cunhado. Relator da Lava Jato morreu após a queda de avião em Paraty, no RJ.

Família relembra visitas de Teori a cidade-natal: 'Esse aí é o ministro?'

Familiares de Teori em Faxinal dos Guedes (Foto: Reprodução/RBSTV)

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, morto em um acidente aéreo na quinta-feira (19), era preocupado com os familiares e amigos que deixou na cidade-natal, Faxinal dos Guedes, de cerca de 11 mil habitantes, no Oeste catarinense. Segundo parentes, ele viajava para o município de até três vezes no ano.

A queda do avião no litoral sul do Rio de Janeiro na quinta-feira (19) interrompeu a carreira de 46 anos do ministro, relator da Lava Jato. O magistrado, que tinha 68 anos, era uma das cinco vítimas fatais da aeronave que voava de São Paulo para Paraty (RJ).

Entre amigos e familiares, ele é lembrado como uma pessoa simples e discreta. "Ele era um cara muito simples. Se tu visses ele aqui, tu ias dizer 'esse aí é o ministro?'. Agora, o conhecimento dele em cima de lei era profundo", disse Alavor Salvadori, cunhado de Teori.

Irmã de Teori, Delci Zavascki mora na cidade. "A gente conversava sempre com ele. Ele ligava toda semana, queria saber notícias. Era muito preocupado conosco", disse.

Entre os primos e amigos, há admiração pela simplicidade. "Onde ele estava, sempre foi a mesma pessoa. Sempre a mesma. Sempre simples, humilde", afirmou Jair Zavascki, primo do ministro.

Nascido e criado em Faxinal dos Guedes

Foi em um sítio de Faxinal dos Guedes que o ministro passou os primeiros anos com a família. Ele ficou no município até a adolescência. Depois, estudou em um seminário em Chapecó, também no Oeste catarinense. De lá se mudou com a família para Porto Alegre, onde ingressou no direito. Na capital gaúcha, Teori vai ser velado e enterrado no sábado (21)

A irmã e os amigos viajariam ainda nesta sexta (20) para o último adeus. "A gente tinha o maior orgulho por ele ser faxinalense. Que não é para qualquer um chegar no topo, nesse nível", disse Laury Benelli, amigo do ministro

"Nós todos estamos muito tristes, A família, enlutada e vamos procurar unir as forças também para ultrapassar esses momentos", afirmou o amigo e ex-prefeito do município, Edegar Giordani.

G1SC

Outras Notícias

PUBLICIDADE